A Muralha de Londres!

Olás #quarenteners!

Espero que esteja tudo bem – na medida do possível né? – por aí. Vamos falar um pouco de história?

Londres foi fundada pelos Romanos em 43 A.C. – Ou seja, a cidade tem mais de 2 mil anos e muita história pra contar!

Inicialmente a cidade era protegida por uma grande muralha. Essa muralha cumpriu sua função por muitos séculos até se tornar obsoleta, sendo aos poucos destruída por vários fatores, em vários momentos ao longo do desenvolvimento da cidade. Algumas partes dela ainda estão em pé, preservadas pela cidade, em uma mistura linda de história e modernidade. De passado e presente, bem na nossa cara!

Foi na década de 1980, que o Museu de Londres – que ainda não visitei, mas está na lista! – montou uma rota de caminhada auto-guiada ao longo das ruínas da Muralha Romana de Londres, para os apaixonados por história. Originalmente eram 21 placas ao longo de uma rota de 2,8 km (1,75 mi). Algumas dessas placas se perderam – a gente vai descobrir o porquê ao longo da caminhada – e hoje restam pouco mais de 11 delas.  Então, pra quem tem interesse em fazer essa caminhada, é praticamente indispensável ter uma rota “em mãos”. 

Continuar lendo

E no Brasil… 

Em fevereiro vi um monte de posts de gente no Brasil comemorando o Valentine’s Day (nem vou comentar os que comemoram o St Patrick’s Day – Dia de São Patrício, o 4th of July – 4 de Julho, o feriado de Thanks Giving – Ação de graças e o Halloween – Dia as Bruxas). Hoje é dia de Tiradentes,um feriado Nacional e não vi um post sequer. 🤔💭

Por um país que comemore as suas PRÓPRIAS datas históricas. Por um Brasil que comemore o Dia do Índio, o Dia de Tiradentes, o Dia do Descobrimento do Brasil, o Dia da Proclamação da República, o Dia da Bandeira, o Dia da Independência e o folclore do país.

Eu voto sim.

Um cantinho escondido em Londres

que eu amo!

Londres é uma cidade muito louca, com trilhões de coisas pra fazer e lugares pra visitar. Eu adoro a mistura do histórico com o moderno. Acho que é isso que mantém a cidade tão incrível. Basta um pouco de vontade e de curiosidade para não ficar parado em casa.

Tem um “cantinho” escondido no meio da City (City é a região “mais velha” de Londres. A cidade se expandiu a partir daquela área que hoje é tomada por escritórios dos mais variados tipos de empresas) e que é uma delícia de visitar. Principalmente nos dias de sol. Durante a semana o cantinho é disputado por quem trabalha na região. Evite visitar o lugar no horário do almoço e o jardim fica fechado aos domingos.

Saint Dunstan in the East Church Garden12

Saint Dunstan in the East Church Garden8

De qualquer maneira acho que vale muito a pena visitar o lugar. O jardim é lindo e tem seu charme o ano todo. Já vi muitas fotos de noivas feitas ali. p.s.: adooooooro reconhecer lugares de Londres nas fotos!

DCIM102GOPROGOPR1173.

O cantinho se chama Saint Dunstan in the East Church Garden. Basicamente o jardim fazia parte da igreja de Saint Dunstan, contruída em 1100 (!). A igreja foi parcialmente destruída algumas vezes ao longo desses anos todos, chegou a ser totalmente demolida e reconstruída.Saint Dunstan in the East Church Garden4

A última vez que a igreja sofreu grandes danos foi durante a Segunda Guerra Mundial. O governo decidiu manter parte das ruínas e criar um jardim aberto ao público. As outras alas foram recuperadas e a igreja funciona normalmente.

DCIM102GOPROGOPR1161.

Saint Dunstan in the East Church Garden5

Eu adoro ver as plantas crescerem por entre as paredes do que restou dessa ala da igreja. Acho genial que tenham decidido manter as ruínas e transformar o lugar num cantinho tão calmo, tão charmoso. Acho muito conto de fadas!

Saint Dunstan in the East Church Garden7

DCIM102GOPROGOPR1141.

Saint Dunstan in the East Church Garden10Saint Dunstan in the East Church Garden11

Pra quem tiver curiosidade, o post code do jardim é EC3R 5DD. Ele fica aberto de segunda a sábado das 8:00 às 22:oo. As estações de metrô mais próximas são as estaçoes de Monument (5 minutos de caminhada) e Tower Hill (8 minutos de caminhada).

Beijinhos,

Cibele