O patinete elétrico!

Olás #quarenteners!

Tudo certo por ai? por aqui tudo sobe controle, na medida do possível. Outro dia eu postei sobre a volta ao trabalho em meio a pandemia de COVID-19 e comentei sobre meu novo meio de transporte: um patinete elétrico. E é sobre ele que quero falar agora, nesse post.

O meu patinete se chama Cora.
Sim, sou do time que batiza tudo. hahahaah

Como comentei no post, uma das coisas que me preocupavam na volta ao trabalho era o meio de transporte. Eu moro relativamente perto do meu trabalho. Caminhando ou de transporte público levo coisa de 1 hora. De bicicleta ou carro seria algo em torno de 25min. Dependendo do trânsito. De carro não compensava porque teria que pagar estacionamento e o congestion charge.

Eu já comentei tambem que há tempos estava tentando me convencer a ir pro trabalho de bicicleta. Principais motivos: exercício fisico, economizar dinheiro e ajudar o meio ambiente. Porém, alguma coisa não me convencia. Sabe aquela sensação estranha? Pois é…

Eis que, semanas antes de voltar a trabalhar, o maridão comentou durante a janta: ” – Vamos comprar um patinete!” e deu risada. Me deu aquele estalo e disse ” – Ahhh legal! Super quero um patinete!” Pronto. De repente tudo fez sentido.

Entrei em contato com minha amiga que mora em Dublin e há um ano adquiriu um patinete elétrico. Pedi todas as dicas, perguntei tudo que queria e precisava saber. Marido fez a pesquisa de mercado e me deu um de presente. Presente duplo, para comemorar o aniversário de casamento e a volta ao trabalho. Ambos no mesmo mês.

Assim que o patinete chegou, coerremos testar ele. Eu e marido, as 8h da noite, conhecendo o novo brinquedo. Por alguma razão, eu estava muito empolgada com a ideia. Não demorei 5 minutos pra me adaptar. Desde então, toda o stress da ida e volta do trabalho não existe mais. Obviamente tive que adaptar algumas coisas, e estou aprendendo outras. Está tudo indo as mil maravilhas. Melhor decisão ever!

As vantagens do patinete

Bom, se for pra listar duas coisas apenas: independência e agilidade. Minha rotina antiga, me exigia de 40 min a 1h de transporte público. Uma rota longa e um trânsito que as vezes atrapalhava demais. Minha rota de patinete: 25min! Isso mesmo, 25min. Sigo uma rota que faria de bicicleta, por “dentro do bairro”. E tem dias que faço a rota em menos de 20min. hahahaah Não preciso ficar presa em transito nenhum. É uma delícia.

Uma outra vantagem: o valor. O patinete custou tres meses de transporte público. E uma carga me leva pro trabalho dois dias. Talvez três, uma vez que eu aprender a otimizar a bateria. heheeh Ahhh e posso carregar ele em casa ou no trabalho. Ele carrega super rápido. 2,5hrs.

A única desvantagem que estou vendo no momento é a questão do clima. Se estiver chovendo forte demais, não vai ter jeito. Vou ter que usar o transporte público. Mas fora isso, uma calça e uma jaqueta a prova d’àgua e que segure um pouco o vento que coloco por cima da minha roupa e estou quentinha e seca.

Aí tem o capacete, as luvas e obviamete o pisca-pisca. O patinete tem fita refletiva e a minha jaqueta tbm, então é seguro sair no escuro e na chuva, que outros carros vão conseguir me ver.

Volto em breve, com aventuras, talvez?!

Beijinhos,

Cibele