Volta ao trabalho, Covid-19!

Olás #quarenteners!

espero que esteja tudo bem por ai. Tenho novidades do lado de cá. Voltei ao trabalho, depois de 6 meses em casa. Meu Deus, misto de sentimentos define. Alívio de voltar à “vida normal”, de me sentir viva e útil novamente (definitivamente não nasci pra ser dona de casa!), de ver e ouvir outras pessoas. Mas também aquela ansiedade de voltar à trabalhar, ter contato com outras pessoas e tals.

Toda a empresa teve que se atualizar para pode voltar a funcionar. Tem toda uma mudança de procedimentos e estrutura física para que isso aconteça. Afinal a empresa precisa funcionar, mas ninguém quer pôr outras vidas em risco. E aqui, graças a Deus a empresa para qual trabalho levou todas as recomendaçōes à sério. Mas não é exatamente sobre essa parte burocrática que quero falar.

Enfim, assim que a data de retorno foi confirmada, meu nível de ansiedade meio que aumentou. Uma das coisas que me preocupava era como iria e voltaria do trabalho. Aqui em Londres existe o congestion charge, uma espécie de pedágio urbano para controlar o tráfego no centro da cidade. alem desse pedágio tem também o ULEZ que é uma taxa que alguns carros pagam de acordo com a emissão de gás carbônico emitido. E alem disso, o estacionamento. Ou seja, ir para o trabalho de carro nem pensar!

Há tempos estava cogitando ir de bicicleta, mas confesso que a idéia não me agradava completamente. Até fiz a rota de bicicleta com a minha flatmate, para ter um ideia melhor do que estaria encarando, quanto tempo levaria e tals. Toda a logística não me convencia e também tinha o medo de encarar o transito de Londres de bicicleta, mesmo tendo as ciclovias.

Até que uma semana antes de voltar, meu marido soltou um: ” – E um patinete?” Juro que não sei explicar, mas de repente tudo fez sentido. E eu me senti em paz. Começamos a busca por patinetes elétricos. Lembrei que minha super amiga em Dublin tem um. Mandei mensagem pra ela perguntando todos os prós e o contras, indicaçōes de marcas modelos e tals.

Uma vez que isso foi decidido ai ficou apenas a ansiedade de esperar chegar. Todas as lojas estava com falta no estoque. Por conta do Covid-19, uma boa porcentagem da população aderiu ao patinete para não ter que usar o transporte público.

Ahhh e setembro também é nosso aniversário de casamento, então o patinete ficou como presente para comemorar a data especial e a minha volta ao trabalho. Vou deixar pra falar sobre o patinete em um post separado, ok?

Quanto a nova rotina no trabalho, como eu disse, todo o prédio passou por uma adaptação física e isso ajudou muito a dar segurança de voltar ao trabalho. Como isso está sendo levado à sério, estou menos tensa de circular pelo prédio.

Primeiro passo: assim que chegamos ao prédio, temos uma câmera medindo nossa temperatura. Se não estiver dentro do aceitável, voce não entra no prédio.

segundo passo: se voce é funcionário, voce tem que seguir o sistema único de circulação. Entrada por um lado, saída por outro. Isso foi implementado no prédio todo. Tem adesivos indicando a rota no chão, nas paredes, nas colunas… Nada de circulação aleatória pelo prédio.

A programação dos sensores das portas foram alterados. A gente não precisa mais tocar o cartão no sensor. Só de aproximar, ele já funciona. Menos contato, menos changes de contaminar a area. Os puxadores das portas também foram modificados. Eu não sei o nome, mas agora tem um aparelho anti-bactericida. A gente só pode tocar naquele parte pra abrir as portas.

Todas as areas comuns do prédio foram “fechadas” restaurante e cantina, por exemplo. E os cantinhos do café estão limitados. Apenas uma pessoa por vez.

Os funcionários estão voltando aos poucos, tudo tem que ser milimetricamente pensado e decidido com cautela. Por causa do distanciamento de 2m, não dá mais para ter por exemplo, três pessoas sentando uma do lado da outra como era antes. O prédio só pode ocupar 50% da capacidade no momento. E nada de visitantes e reuniōes até segunda ordem. Qualquer reunião vai continuar sendo video-conferência.

Tem outras muitas alterações pelo prédio. Não vou citar todas por razōes óbvias. Mas tirei fotos de alguns dos posteres espalhados pelo prédio e quero dividir aqui, porque a empresa para a qual trabalho leva tudo muito à sério, mas com bom humor e eu adoro isso!

Enfim, a primeira semana foi bem bacana. Tensa com todos os cuidados e procedimentos. Mas foi um a delícia poder ver algumas das pessoas com quem trabalho. Digo algumas porque o prédio foir re-aberto com a capacidade mínima. A expectativa é de que as equipes voltem aos poucos. E conversar com elas, saber como elas estão lidando com tudo isso e poder fazer isso ao vivo, não por telefone ou mensagem, faz uma baita diferencça.

E eu estou adorando a minha nova rotina de ir para o trabalho de patinete elétrico! hahaah

Porém, a segunda semana começou tensa. Os casos de covi-19 no Reino Unido aumentaram e possivelmente vamos entrar em isolamento social novamente. Coração está apertadinho e a cabeça novamente está pegando fogo com essa história.

É isso, comecei o post com novidade, feliz da vida e termino ele assim, meio tensa… hahahaah

beijinhos,

Cibele

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s