“A kiss under the mistletoe”

ou, um beijo sob o visco branco!

Olás! To de volta. É Natal e vamos falar de quê? De Natal, ué!

visco brancoNa verdade quero começar falando de uma tradição muito comum aqui no hemisfério norte. O tal “beijo sob um ramo de visco branco”. Por aqui, boa parte das decorações de Natal e das músicas de Natal mencionam essa tradição. Mas, o que ela significa?

Há muitíssimo anos que o visco branco é considerado uma planta que aumenta a vida e a fertilidade. Druidas celtas que viviam no século I dC a viam como um símbolo de vivacidade, já que ela permanecia verde durante o inverno. Mesmo esquema do pinheiro de Natal, que ao contrário de outras árvores e plantas em geral, não morre no inverno, muito pelo contrário, fica “vivinho da silva”. Todo verdinho!

img_9843

Decor tradicional do Mercado de Covent Garden, Londres

Alguns historiadores acreditam que a conexão entre o visco e um beijo vem da antiga mitologia nórdica. De acordo com as versões mais felizes da lenda, Baldur (ou Baldr ou Balder) foi morto por uma flecha de um inimigo feita de visco.

As lágrimas da mãe, a deusa Frigg, em contato com a flecha se transformaram em bolinhas brancas que ela colocou na ferida de Baldur, trazendo-o de volta à vida. Muito feliz, Frigg abençoou a planta do visco e prometeu um beijo a todos que passassem por baixo dela.

O visco branco também foi muito usado por sacerdotes. que tinham o costume de ter um ramo de visco amarrado às mãos. Daí vem o costume da benção com o ramos de visco branco.

Ok, entre todas as variações da lenda e início dessa tradição, o fato é que o Natal, sendo o nascimento do Cristo, é também uma “nova vida”, logo os casais se apossaram desse costume para dar início a uma nova fase. E nada melhor que começar uma nova fase, com um beijo e uma benção, né?! Assim mesmo, tudo junto!

Por isso é comum você ver decorações com “mistletoes” por todos os lados, aqui no hemisfério norte. Hehehe

img_9866

Entrada da Petersham Nursery, Covent Garden, Londres.

Então se voce ver um ramo assim, pendurado em algum lugar por aqui, já sabe o que fazer, né:!

Beijinhos,

Cibele